A importância de perdoar os nossos pais e antepassados

Muitos dos nossos conflitos emocionais surgem devido à nossa relação como os nossos pais.


E qual poderá ser o motivo desses conflitos?


Um dos motivos é que os nossos pais também guardam conflitos mal resolvidos com os pais deles, nossos avós, e acabam passando, de forma inconsciente, os seus problemas para os filhos através de exemplos, atitudes e palavras.


Se os nossos avôs têm problemas de auto-estima, se sofreram problemas de rejeição, ou se têm qualquer tipo de questão emocional, é claro que isso irá afectar a relação com os nossos pais. Os nossos avós, por sua vez, também tiveram as suas questões com os nossos bisavôs. Os nossos bisavôs influenciam os nossos avós, que influenciam nossos pais, que nos influenciam ou influenciaram.

E eu, tu, caso não se faça nada, iremos passar boa parte da negatividade adquirida que veio das gerações passadas para os nossos filhos, que por sua vez, irão passar para os seus filhos...


Acredito, que reflectindo sobre esta “cadeia” de relacionamentos, dá para ter uma melhor percepção da dimensão e profundidade dos problemas que carregamos e que vão passando de geração em geração… de uma forma tão inconsciente, que a maioria das vezes, as pessoas procuram ajuda para melhorarem o relacionamento com os seus filhos e durante o processo, percebem que o seu comportamento é idêntico ao comportamento, que tanto criticam e detestam da mãe ou do pai…

É estranho!!! mas acredita, é pura verdade…


E será que podemos culpar alguém directamente em todo este processo?


Temos uma imagem dos nossos pais como seres que têm o dever de ser maduros e responsáveis... que não podem errar. Essa é a nossa óptica na perspectiva de filho(a). E nessa perspectiva, é como se fôssemos crianças. Uma parte de nós, cobra dos nossos pais coisas que eles deveriam ter feito ou que deixaram de fazer, o carinho e a atenção que não recebemos da forma que queríamos, etc…


No entanto, não nos lembramos que os nossos pais também são filhos. Sabemos disso racionalmente, mas não conseguimos ver isso numa dimensão mais profunda, e por vezes nem queremos conseguir e/ou não nos queremos colocar no lugar deles de forma verdadeira… e tentar perceber a situação… pois é sempre mais fácil, colocar a culpa em alguém... e nos libertarmos dessa responsabilidade.


Nas sessões, é comum surgir pessoas de todas as idades, com mágoas que carregam dos pais de factos ocorridos na infância… e algumas dessas pessoas, nem têm consciência desses sentimentos, mas eles começam a manifestar-se durante o processo… por vezes logo na primeira sessão e surge muitas frases como por exemplo: se o meu pai não fosse tão repressor... se minha mãe me tivesse defendido do meu pai... se minha mãe não me tivesse rejeitado... se eles me tivessem dado apoio emocional e/ou financeiro... se eles me tivessem dado carinho, dado amor… Se eles… etc... etc


Quando nos expressamos desta forma, estamos sentindo e observando a situação, totalmente pela perspectiva de filho(a). Estamos observando a situação pelo filtro das nossas emoções negativas.

E quem está a ver as coisas desta forma e está cheio de raiva e mágoa dos pais, não adianta muito dizer que os pais erraram porque também são filhos que também carregam os seus traumas e conflitos… pois só conseguimos pensar que eles têm que ser prefeitos à nossa maneira… e que tinham que fazer o que nós achamos que é correcto.


Mas é possível alterar esta percepção e ao longo do processo essa compreensão torna-se muito mais fácil e profunda… conseguindo assim, dissolver os sentimentos de raiva e mágoa… até chegar ao perdãoe sentindo uma libertação total e profunda.


Nesta nova perspectiva, saímos do papel da vítima, da criança magoada, e passamos a ver os nossos pais como seres humanos que, como nós, podem errar, e também conseguimos vê-los como filhos.

Com esta nova forma de ver as coisas, tornamo-nos mais adultos e surge em nós, a sensação de leveza e de poder comandar o nosso próprio destino, a nossa própria vida sem a necessidade de culpar alguém pelos nossos "problemas"assumindo a total responsabilidade dos nossos comportamentos, emoções, sentimentos de uma forma mais intensa.


Com este despertar, os filhos de quem desperta, também serão beneficiados pois deixaremos de descontar essas frustrações neles.


Qualquer, questão mal resolvida com os nossos pais, quer sejam mágoas, rejeição, raiva, abandono, ou qualquer outra emoção, sentimento, interferem de uma forma muito significativa em todas as áreas da nossa vida.


Quanto mais em paz, tu estiveres com teus pais, mais a tua vida flui. Não importa se eles foram bons ou ruins, se erram ou acertam muito ou pouco, o que importa é o quanto tu estás bem ou mal resolvido com essas questões. Não importa o quanto foi difícil o relacionamento no passado… o que importa é a forma como reages perante a situação agora… o que importa é a decisão que tomas hoje: Queres continuar a ser vitima do que se passou no passado e viver de forma infeliz? ou Queres ser responsável pela tua vida e ser feliz?


A Hipnoterapia é uma excelente ferramenta para apaziguar e resolver esses sentimentos…


Ficar em paz com os pais e antepassados é um excelente remédio para melhorar relacionamentos, saúde física, todo tipo de questões emocionais e melhorar a prosperidade em qualquer área da nossa vida.




Featured Posts
Recent Posts
Archive
Search By Tags
  • Facebook Basic Square
  • Instagram
  • Twitter Basic Square
  • LinkedIn ícone social
Follow Us

Para mais Informações ou marcação:

  • Facebook ícone social
  • Instagram
  • Twitter ícone social
  • LinkedIn ícone social

Todos os direitos reservados a Dora Alcaria

Livro de reclamações.jpg