Um breve resumo da história da hipnoterapia

O termo "hipnose" tem a sua origem no nome do deus grego do sono – Hipnos = sono + osis (do latim = acção ou processo). O nome, deve-se ao médico e pesquisador britânico James Braid (1795-1860), que o introduziu pois acreditou tratar-se de uma espécie de sono induzido. Quando tal equívoco foi reconhecido, o termo já estava consagrado, e permaneceu nos usos científico e popular.

 

 

 

 

 

 

 

Contudo, deve ficar claro que hipnose não é uma espécie ou forma de sono.

Os dois estados de consciência são claramente distintos e a tecnologia moderna pode comprová-lo de inúmeras formas, inclusive pelos registos electroencefalográficos de ambos, que mostram ondas cerebrais de formas, frequências e padrões distintos para cada caso. O estado hipnótico é também chamado transe hipnótico.

 

A sua história científica começa com A. Mesmer que, em meados do século XVIII, em Viena e depois em Paris, desenvolveu a prática da hipnose com fins terapêuticos e experimentais sob o termo de magnetismo animal.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Este uso médico foi desenvolvido e autenticado em Paris por Jean-Martin Charcot e em Nancy por H. Bernheim. O primeiro defendeu a ideia de um estado particular de consciência e associou a sugestibilidade hipnótica ao terreno histérico. O segundo evocou o papel da sugestão simples e introduziu o uso terapêutico da hipnose em numerosas indicações médicas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Dave Elman (1900–1967), apesar de  ser conhecido primeiramente como um notório locutor de rádio, comediante e compositor musical, ele também ficou famoso no campo da Hipnose. Ele leccionou vários cursos para médicos e escreveu, em 1964, o livro: “Findings in Hypnosis” (Descobertas na Hipnose), que depois foi denominado “Hypnotherapy” (Hipnoterapia).

Provavelmente, um dos aspectos mais importantes que Dave Elman, nos deixou, foi o seu método de indução, que originalmente foi construído para realizar a hipnose de um modo rápido e depois adaptada para o uso de profissionais médicos. Os seus discípulos rotineiramente obtinham estados hipnóticos adequados para procedimentos médicos ou cirúrgicos em menos de três minutos.

O seu livro e as suas gravações deixaram muito mais que somente a sua técnica de indução rápida. A primeira cirurgia cardíaca de tórax aberto, utilizando somente hipnose no lugar de uma anestesia (por causa de vários problemas severos do paciente) foi conduzida pelos seus estudantes, tendo Dave Elman como orientador na sala de cirurgia.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Milton Erickson (1901-1980), psiquiatra norte-americano, especializado em terapia familiar e hipnose. Fundou a American Society of Clinical Hypnosis e foi um dos hipnoterapeutas mais influentes no pós-guerra. Ele publicou vários livros e artigos científicos na área.

Durante a década de 1960, Erickson popularizou um novo tipo de hipnoterapia, conhecida como hipnose ericksoniana.

Hoje sabemos que a hipnose nada tem a ver com o sono. Assemelha-se mais ao sonhar (Actividade REM), à meditação e com um estado alterado de consciência (transe). A Hipnose faz parte da vida psíquica normal do homem, não sendo patológica nem perigosa. Toda a comunicação é hipnose. Toda a emoção intensa é hipnose.

Para mais Informações ou marcação:

  • Facebook ícone social
  • Instagram
  • Twitter ícone social
  • LinkedIn ícone social

Todos os direitos reservados a Dora Alcaria

Livro de reclamações.jpg